23 de junho de 2017

NÃO TENHAIS MEDO


Estimados irmãos e irmãs em Cristo Jesus, nosso Senhor! Desejo que as bênçãos do Pai celeste estejam sempre com você e sua família para que continues desenvolvendo com amor, alegria e determinação a missão que o Senhor te confia.

Ser cristão autêntico é desafiador. Viver os valores do Evangelho nos tempos atuais também teu seu risco. Podemos ser criticados, incompreendidos, perseguidos e até martirizados. Ainda hoje muitos sentem-se incomodados pela verdade da Boa Nova de Jesus Cristo e por isso querem calar aqueles que as proclamam. Não devemos ter medo.

Na primeira Leitura (Jr 20,10-13) deste Domingo, o Profeta Jeremias faz um desabafo manifestando um misto de desconforto e esperança. Aqueles que se diziam seus amigos agora o perseguem e querer que ele morra. Querem apanhá-lo em qualquer palavra ou atitude que ele faça e que não condiz com o que ele crê. Porém, o profeta não fica se lamentando. Ele desabafa, mas depois confirma àquilo que ele acredita: “o Senhor está ao meu lado, como forte guerreiro” (v. 11).

No Evangelho (Mt 10,26-33) Jesus também fala deste mesmo assunto. Inicia seu discurso com um imperativo: “Não tenhais medo dos homens, pois nada há de encoberto que não seja revelado, e nada há de escondido que não seja conhecido” (v. 26).

Assim como Jeremias lamenta a perseguição, Jesus alerta e nos encoraja para não termos medo daqueles que podem até nos calar, mas a Palavra de Deus ninguém pode parar. Não devemos temer as pessoas pois a nossa prestação de contas, ao final da nossa vida, não será entre nós, mas com Deus. Também não podemos ficar intimidados pelas críticas que podemos receber. Não somos perfeitos. Também estamos buscando viver o que acreditados. Porque, se esperarmos ser perfeitos para começar o anúncio, talvez nunca o faremos. A Palavra que pregamos ela nos transforma a seu tempo. Importante é manter o desejo de sermos melhor. Nós semeados, mas é Deus quem faz crescer.

Vemos no cenário político atual como o inimigo faz as coisas sujas e alguns se prestam a isso. Tudo o que foi feito as escondidas, está aparecendo e aos poucos será revelado. As mentiras, corrupções, roubos, desvios, enfim, tudo será conhecido e manifesto. Vemos também como o mal destrói-se a si mesmo. Aqueles que até então gozavam dos bens adquiridos de forma errada, agora esses benefícios são usados contra eles mesmos. Claro que nem todos receberão as condenações merecidas, mas Deus é justo e fará justiça. Podem fugir ou subornar os tribunais humanos, mas não conseguirão fazer isso com o tribunal divino.

Então, amados irmãos e irmãs, precisamos continuar acreditando no bem, na vida, na justiça e na verdade. Este é o caminho que Deus nos ensina e é o caminho de libertação. Não existe nada melhor do que ter a consciência tranquila pelo bem realizado.

Ainda que aparentemente o mal parece dominar o mundo contemporâneo, as forças opressoras parecem avançar sem limites, é dever nosso pregar e viver com retidão as verdades do Evangelho. Quem faz o bem não precisa temer nada, pois Deus está ao nosso lado e quem pode contra Ele?

Três vezes Jesus repete no Evangelho deste Domingo a expressão: “Não tenhais medo!” É o Senhor que nos diz isso. Então por que temer? O que temer? As forças do mal não prevalecerão sobre os que acreditam e buscam a Deus de coração sincero. São João Calábria dizia: “o mundo todo é de Deus!” Então onde estivermos, Ele estará conosco.

Fica o convite final de Jesus: “Portanto, todo aquele que se declarar a meu favor diante dos homens, também eu me declararei em favor dele diante do meu Pai que está nos céus. Aquele, porém, que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante do meu Pai que está nos céus” (v. 32-33). Não vamos ter vergonha de dizer que somos católicos, que amamos e servimos a Deus. Precisamos expressar com alegria a nossa fé, pois temos um Deus que sempre nos acompanha e nos ama infinitamente.

Deus abençoe tua vida e te faça um grande evangelizador.

Saudações.

Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência

22 de junho de 2017

Hora de Adoração pela santificação dos sacerdotes


SOLENIDADE DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS

ADORAÇÃO

Animador: Jesus manso e humilde de Coração! 
Todos: Fazei o nosso coração semelhante ao vosso! 
Animador: Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo! 
Todos: Como era no princípio agora e sempre. Amém! 

Animador: Estimados irmãos e irmãs. Estamos diante do Santíssimo Sacramento. Estamos na presença de Deus. Iniciamos esta hora santa invocando a Santíssima Trindade... Em nome do Pai.... 

Animador: Graças e louvores sejam dados a todo momento! 
Todos: Ao santíssimo e diviníssimo Sacramento! 
Repete por 3 vezes. Depois momento de silêncio e contemplação! 

Animador: Peçamos ao Espírito Santo para que nos conduza até o coração de Jesus e transforme o nosso coração para que seja cada dia mais semelhante ao dele. 

Canto: CONHEÇO UM CORAÇÃO 

1 - Conheço um coração tão manso, humilde e sereno. Que louva ao Pai por revelar Seu Nome aos pequenos. Que tem o Dom de amar, que sabe perdoar, e deu a vida para nos salvar! 

REF.: Jesus, manda Teu Espírito, para transformar meu coração (2x) 

2 - Às vezes no meu peito bate um coração de pedra. Magoado, frio, sem vida, aqui dentro ele me aperta. Não quer saber de amar, nem sabe perdoar, quer tudo e não sabe partilhar. 

3 - Lava, purifica e restaura-me de novo. Serás o nosso Deus e nós seremos o Seu povo. Derrama sobre nós, a água do amor, o Espírito de Deus nosso Senhor! 

Animador: Jesus ao aparecer à Santa Margarida Maria Alacoque (27/12/1673), com Seu Coração transpassado pela espada, disse: “Eis o coração que tanto tem amado os homens e em recompensa não recebe da maior parte deles, senão ingratidões pelas irreverências e sacrilégios, friezas e desprezos que tem por mim nesse sacramento do Amor. E continuou dizendo: Prometo-te pela minha excessiva misericórdia, a todos que comungarem nas primeiras sextas de nove meses consecutivos, a graça da penitência final. Estes não morrerão em minha inimizade, nem sem receberem os sacramentos. O meu Sagrado Coração lhes será refugio seguro nessa última hora”. 

Momento de silêncio. 

Animador: Vamos ouvir a Palavra de Deus. Mostrando nossa prontidão em ouvi-la, coloquemo-nos em pé: (Pode-se cantar um refrão para aclamação). 

Leitor: (João 13,2-15) "Durante a ceia, - quando o demônio já tinha lançado no coração de Judas, filho de Simão Iscariotes, o propósito de traí-lo -, sabendo Jesus que o Pai tudo lhe dera nas mãos, e que saíra de Deus e para Deus voltava, levantou-se da mesa, depôs as suas vestes e, pegando duma toalha, cingiu-se com ela. Em seguida, deitou água numa bacia e começou a lavar os pés dos discípulos e a enxugá-los com a toalha com que estava cingido. Chegou a Simão Pedro. Mas Pedro lhe disse: Senhor, queres lavar-me os pés!... Respondeu-lhe Jesus: O que faço não compreendes agora, mas compreendê-lo-ás em breve. Disse-lhe Pedro: Jamais me lavarás os pés!... Respondeu-lhe Jesus: Se eu não tos lavar, não terás parte comigo. Exclamou então Simão Pedro: Senhor, não somente os pés, mas também as mãos e a cabeça. Disse-lhe Jesus: Aquele que tomou banho não tem necessidade de lavar-se; está inteiramente puro. Ora, vós estais puros, mas nem todos!... Pois sabia quem o havia de trair; por isso, disse: Nem todos estais puros. Depois de lhes lavar os pés e tomar as suas vestes, sentou-se novamente à mesa e perguntou-lhes: Sabeis o que vos fiz? Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque eu o sou. Logo, se eu, vosso Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar-vos os pés uns aos outros. Dei-vos o exemplo para que, como eu vos fiz, assim façais também vós." 

Animador: Vamos silenciar o nosso coração e deixar que esta Palavra faça eco em nosso coração. Contemple Jesus presente na Eucaristia, essa riqueza tão grande. Jesus lavou os pés dos discípulos. Eu teria coragem desta mesma atitude? Ser discípulo é serviço. 

(Deixar momento de silêncio pois é importante escutar a Deus. Um silêncio orante e não distraído. Mantenha os olhos fixos em Jesus presente na Eucaristia). 

Animador: Neste hora santa vamos clamar a Jesus perdão pelos nossos pecados, pelos pecados das nossas famílias, da Igreja e de toda a humanidade. Pedir perdão pelas ofensas que diariamente são pronunciadas machucando o coração de Deus. Papa Francisco convocou este dia de oração pela santificação dos sacerdotes. Por isso ele se torna um dia ainda mais especial. Pois sem os sacerdotes não teríamos a Eucaristia e sem a Eucaristia não haveria Igreja e nem sacerdotes. Aqueles que recebem o dom de consagrar, pela ação e força do Espírito Santo, alimentam-se com o próprio pão do céu que os sustenta na fraqueza e nas dificuldades. 

Leitor: O Prefeito da Congregação para o Clero, Cardeal Beniamino Stella, assim falou em seus pronunciamento: “Na dinâmica da vocação sacerdotal existe este paradoxo, bem visível no chamado dos apóstolos por parte do Senhor: quem é chamado nunca é um perfeito ou uma pessoa que tenha dons extraordinários, mas pelo contrário, Jesus se detém na margem do mar para dirigir-se a alguns simples pescadores e, pouco depois, a um cobrador de impostos. Um padre ou um bispo experimentam isto durante toda a sua vida; sentem que a exigência da missão a eles confiada é levada em frente porque a misericórdia de Deus vem em auxílio a sua fraqueza e às suas fragilidades; aprendem, a cada dia, a serem apóstolos, não por méritos pessoais, mas porque foram escolhidos pelo Senhor, que os chamou e os enviou. Os dois aspectos – ser pecadores e ser pescadores de homens, enviados a proclamar o Evangelho – não somente convivem bem, mas são também uma garantia para a nossa santificação: se tudo dependesse da nossa perfeição, logo nos esqueceríamos de Deus e nos tornaríamos soberbos. Há poucos dias, em uma homilia na Santa Marta, o Papa disse que não devemos maquiar-nos para parecer “vasos de ouro”, mas pelo contrário, devemos aceitar sermos “vasos de barro”; somente assim o oleiro, que é Deus, nos modela com amor e permite que, mesmo dentro de nossa fraqueza, resplandeça o tesouro do Evangelho, a ser levado ao mundo inteiro”. 

CANTO: Ninguém Te Ama Como Eu 

Tenho esperado este momento 
Tenho esperado que viesses a mim 
Tenho esperado que me fales 
Tenho esperado que estivesses assim 
Eu sei bem o que tens vivido 
Sei também que tens chorado 
Eu sei bem que tens sofrido 
Pois permaneço ao teu lado 

Ninguém te Ama como Eu 
Ninguém te Ama como Eu 
Olhe para a cruz, está é a minha grande prova 
Ninguém te Ama como Eu 

Ninguém te Ama como Eu 
Ninguém te Ama como Eu 
Olhe para a cruz, foi por ti, porque Te amo 
Ninguém te Ama como Eu 

Eu sei bem o que me dizes 
Ainda que nunca me fales 
Eu sei bem o que tens sentido 
Ainda que nunca me reveles 
"Tenho andado ao teu lado 
Junto a ti permanecido 
Eu te levo em meus braços 
Pois sou teu melhor amigo." 

Animador: Estamos aqui rezando pela santificação dos sacerdotes. Pela santificação de toda a Igreja. É dever da comunidade ajudar os seus pastores a permanecerem firmes e fieis na caminhada. A oração é a principal ajuda que podemos oferecer, pois Deus realiza o que nós não podemos fazer. Espontaneamente rezemos a Ladainha do Sagrado Coração de Jesus. 

Senhor, tende piedade de nós. 
Jesus Cristo, tende piedade de nós. 
Senhor, tende piedade de nós. 
Jesus Cristo, ouvi-nos. 
Jesus Cristo, atendei-nos. 
Pai Celeste, que sois Deus, tende piedade de nós. 
Filho, Redentor do mundo, que sois Deus, tende piedade de nós. 
Espírito Santo, que sois Deus, tende piedade de nós. 
Santíssima Trindade, que sois um só Deus, tende piedade de nós. 
Coração de Jesus, Filho do Pai eterno, tende piedade de nós. 
Coração de Jesus, formado pelo Espírito Santo no seio da Virgem Mãe, tende piedade de nós. 
Coração de Jesus, unido substancialmente ao Verbo de Deus, tende piedade de nós. 
Coração de Jesus, majestade infinita, tende piedade de nós. 
Coração de Jesus, templo santo de Deus, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, tabernáculo do Altíssimo, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, casa de Deus e porta do Céu, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, fornalha ardente de caridade, tende piedade de nós. 
Coração de Jesus, receptáculo de justiça e de amor, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, cheio de bondade e de amor, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, abismo de todas as virtudes, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, digníssimo de todo o louvor, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, Rei e centro de todos os corações, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, no qual estão todos os tesouros da sabedoria e ciência, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, no qual habita toda a plenitude da divindade, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, no qual o Pai põe todas as suas complacências, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, de cuja plenitude todos nós participamos, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, desejado desde toda a eternidade, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, paciente e de muita misericórdia, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, rico para todos que vos invocam, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, fonte de vida e santidade, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, propiciação por nossos pecados, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, saturado de opróbrios, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, esmagado de dor por causa dos nossos pecados, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, feito obediente até a morte, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, atravessado pela lança, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, fonte de toda a consolação, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, nossa vida e ressurreição, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, nossa paz e reconciliação, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, vítima dos pecadores, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, salvação dos que em vós esperam, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, esperança dos que morrem em vós, tende piedade de nós 
Coração de Jesus, delícias de todos os santos, tende piedade de nós 

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, perdoai-nos, Senhor. 
Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, ouvi-nos Senhor. 
Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, tende piedade de nós. 

Jesus, manso e humilde de coração. Fazei nosso coração semelhante ao vosso. 

Oremos: Deus Onipotente e Eterno, olhai o Coração do vosso diletíssimo Filho e os louvores e reparações que pelos pecadores vos tem tributado; e aos que invocam vossa misericórdia, vós, aplacado, sede fácil no perdão, pelo mesmo Jesus Cristo que Convosco vive e reina para sempre, na unidade do Espírito Santo. Amém. 

Animador: Rezemos também com muita confiança o TERÇO DA MISERICÓRDIA. Deus é Pai e sempre está disposto a nos perdoar porque nos ama e quer seus filhos sempre perto de Si. Oferecemos este terço, Senhor, pelos pecados cometidos pelos sacerdotes. Dê a eles força para vencerem as tentações do inimigo que os quer afastar de Ti. Ajude-os a serem santos, manifestando a tua Misericórdia. 

Pai-Nosso… Ave-Maria… Creio… 

Nas contas do Pai-Nosso, reza-se: Eterno Pai, eu Vos ofereço o Corpo e Sangue, a Alma e Divindade de Vosso diletíssimo Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, em expiação dos nossos pecados e do mundo inteiro. 

Nas contas das Ave-Marias, reza-se: Pela Sua dolorosa Paixão, tende misericórdia de nós e do mundo inteiro. (10 vezes) 

Ao fim do terço, reza-se: Deus Santo, Deus Forte, Deus Imortal, tende piedade de nós e do mundo inteiro. 

CANTO: Glória a Jesus na Hóstia Santa 

1. Glória a Jesus na Hóstia santa,/ 
que se consagra sobre o altar,/ 
e aos nossos olhos se levanta/ 
para o Brasil abençoar. 

Que o santo Sacramento,/ 
que é o próprio Cristo Jesus,/ 
seja adorado e seja amado / 
nesta terra de santa Cruz. 

2. Glória a Jesus, Deus escondido que,/ 
vindo a nós na comunhão,/ 
purificado, enriquecido,/ 
deixa-nos sempre o coração. 

3. Glória a Jesus que ao rico,/ ao pobre 
se dá na hóstia em alimento,/ 
e faz do humilde e faz do nobre / 
um outro Cristo em tal momento. 

Animador: Rezemos juntos a Oração pela santificação dos sacerdotes, de Santa Teresinha do Menino Jesus: 

Ó Jesus, Sumo e Eterno Sacerdote, conservai os vossos sacerdotes sob a proteção do Vosso Coração Amabilíssimo, onde nada de mal lhes possa suceder. Conservai puros e desapegados dos bens da terra os seus corações, que foram selados com o caráter sublime do Vosso Glorioso Sacerdócio. Fazei-nos crer no seu amor e fidelidade para Convosco e preservai-os do contágio do mundo. Dai-lhes também, juntamente com o poder que têm de transubstanciar o pão e o vinho em Vosso Corpo e Sangue, o poder de transformar os corações dos homens. Abençoai os seus trabalhos com copiosos frutos e concedei-lhes um dia a coroa da vida eterna. Amém! 

Animador: Implorado uma vez mais a misericórdia de Deus sobre todos rezando juntos a ORAÇÃO PARA REPARAÇÃO

Meu Jesus, pão partido e sangue derramado, vítima na cruz, dom de amor do Pai para a nossa salvação. Ajuda-nos a oferecermos a nós mesmos, para sermos tuas testemunhas. Para sermos sinais de solidariedade e reparação na participação ao Teu corpo místico. Transforma nossas lágrimas e as fadigas de cada dia num canto de louvor e de ação de graças, na alegria profunda de pertencermos a Ti, almas na tua alma, corações no teu coração. Tudo para vivermos em ti como Evangelhos vivos. Acolhe o oferecimento deste nosso dia, unido à oblação de Cristo na Eucaristia em reparação pelos nossos pecados, em favor da Obra toda nascida do teu lado, para o bem da Igreja e do mundo inteiro. Em tuas mãos entrego minha vida, abandono-me a Ti e à Tua Divina providência para viver o disposto a tudo com grande fé. Amém! 

Animador: Peçamos ao Dono da Messe que continue chamando muitos para este serviço e ministério. Rezemos juntos a oração pelas vocações: 

Jesus Mestre Divino, que chamaste os apóstolos a vos seguirem, continuai a passar pelos nossos caminhos, pelas nossas famílias, pelas nossas escolas, e continuai a repetir o convite a muitos de nossos jovens. Dai coragem as pessoas convidadas, dai força para que vos sejam fiéis, como apóstolos leigos, como sacerdotes, como religiosos e religiosas, para o bem do Povo de Deus e de toda a humanidade. Amém. 

Tento sacerdote ou sendo comunitária segue a bênção como de costume. Caso esteja rezando individualmente ou sem a presença do mesmo, segue com a oração sem a bênção!

CANTO: Tão sublime sacramento 

Tão sublime sacramento,/ Adoremos neste altar, 
Pois o antigo testamento, / Deu ao novo seu lugar, 
Venha a fé por suplemento/ Os sentidos completar. 

Ao eterno pai cantemos/ E a Jesus o salvador, 
Ao espírito/ Exaltemos na trindade 
Eterno amor./ Ao Deus uno e trino 
Demos a alegria do louvor. Amém 

ATO DE LOUVOR 

- Bendito seja Deus. 
- Bendito seja o seu santo nome. 
- Bendito seja Jesus Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem. 
- Bendito seja o nome de Jesus. 
- Bendito seja o seu Sacratíssimo coração. 
- Bendito seja o seu preciosismo sangue. 
- Bendito seja Jesus no Santíssimo sacramento do altar. 
- Bendito seja o Espírito Santo Paráclito. 
- Bendita seja a grande mãe de Deus, Maria santíssima. 
- Bendita seja sua santa e imaculada conceição. 
- Bendita seja sua gloriosa assunção. 
- Bendito seja o nome de Maria, virgem e mãe. 
- Bendito seja são José, seu castíssimo esposo. 
- Bendito seja Deus, nos seus anjos e nos seus santos. 

Deus e Senhor nosso, protegei a vossa Igreja, dai-lhe santos pastores e dignos ministros. Derramai as vossas bênçãos sobre o nosso Santo Padre, o papa, sobre o nosso arcebispo, sobre o nosso pároco e todo o clero, sobre o chefe da nação e do Estado e sobre todas as pessoas constituídas em dignidade para que governem com justiça. Dai ao povo brasileiro paz constante e prosperidade completa. Favorecei com os efeitos contínuos de vossa bondade o Brasil, este arcebispado, a paróquia em que habitamos, cada um de nós em particular e todas as pessoas por quem somos obrigados a rezar ou que se recomendaram as nossas orações. Tende misericórdia das almas dos fiéis que padecem no purgatório. Dai-lhes, Senhor, o descanso e a luz eterna. Pai nosso... Ave Maria... Glória... Graças e louvores.... Glória ao Pai....

16 de junho de 2017

A MESSE É GRANDE, MAS OS TRABALHADORES SÃO POUCOS

Caríssimos irmãos e irmãs. A Sagrada Liturgia que a comunidade cristã celebra todos os Domingos é um convite a conversão e a não nos esquecermos que o Senhor caminha conosco todos os dias. Celebramos muitas solenidades no decorrer de pouco tempo e com elas manifestamos nossa fé publicamente e o Senhor renova as nossas forças na caminhada pela Eucaristia, através do Espírito Santo e com a sua Palavra transformadora.

Estamos no 11º Domingo do Tempo Comum. Na Leitura do Livro do Êxodo (19,2-6a) o Senhor fala por meio de Moisés ao seu povo dizendo: “Se ouvirdes a minha voz e guardardes a minha aliança, sereis para mim a porção escolhida dentre todos os povos, porque minha é toda a terra!”

O povo de Israel foi eleito para ser o povo de Deus. Porém, para que isso fosse concretizado, o mesmo deveria saber ouvir a voz de Deus e guardar a aliança. Hoje nós somos esse povo escolhido. Temos o dever de ouvir a Palavra de Deus e guardar a aliança que Ele fez conosco no Batismo e na Cruz.

O diferencial do Povo de Deus e o nosso diante dos outros povos deve ser a escuta da Palavra. A nenhum outro povo Deus falou tão claramente e se manifestou pessoalmente. Nós temos o privilégio de ler, escutar, meditar a sua Palavra. Temos ainda a grande graça de recebe-lo na Eucaristia. A Salvação que Ele nos trouxe pela Cruz selando para sempre uma aliança que nunca mais poderá ser apagada. Por esta sua atitude de amor, nós temos a garantia do céu. Não podemos nos esquecer disso.

Porém, para que o povo de Deus não se perca no caminho, assim como Deus escolheu Moisés e muitos outros profetas, hoje Ele continua escolhendo pessoas para guiar os seus escolhidos. Hoje Deus chama homens e mulheres a serem pastores do povo através da Vida Religiosa Consagrada e Sacerdotal. Sabemos que existem graus no Sacramento da Ordem, a saber: Diaconato, Presbiterato e Episcopado. Depois ainda alguns são eleitos Cardeais e entre estes é eleito o Papa. Toda esta estrutura organizacional é para melhor servir o povo de Deus.

Porém, sentimos em muitos lugares quanto o povo de Deus ainda continua sem assistência. O olhar misericordioso de Jesus continua atento: “Vendo Jesus as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam cansadas e abatidas, coo ovelhas que não têm pastor”. (Evangelho deste Domingo Mt 9,36-10,8).

Temos necessidade de mais religiosos e sacerdotes. Mais Diáconos permanentes e fieis evangelizadores. Por isso é de fundamental importância que a comunidade cristã sinta-se e comprometa-se cada vez mais em ser promotora vocacional, rezando e incentivando as vocações: “A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi pois ao dono da messe que envie trabalhadores para a sua colheita!”

O Dono da messe é o Pai. Precisamos clamar a Ele que chame mais e mais pessoas para que se disponham em levar a sua Palavra e o seu amor aos irmãos e irmãs que ainda não a conhecem. É necessário pedir também pela perseverança e santificação daqueles que já estão neste caminho. Muitos cansam e desistem deste árduo trabalho. Tem ainda aqueles que se perdem em suas próprias motivações e aspirações e esquecem de Deus.

Deus continua chamando. Porém, as vezes, encontra corações fechados que não dão espaço para que Ele trabalhe. Muitos fogem de Deus e depois ficam frustrados por causa das escolhas erradas que fizeram. Temos necessidade de muita oração pela messe.

Tenho um convite a fazer. Ou reforçar caso já tenhas este hábito: reze pelas vocações todos os dias. Tenho certeza que se todos os católicos rezassem uma Ave Maria e um Pai Nosso pelas vocações, não teríamos tanta escassez. Fale sobre vocações na sua família.

Deus abençoe você e sua família todos os dias da nova semana.

Saudações!
Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência.

8 de junho de 2017

DEUS AMOU TANTO O MUNDO...

Estimados irmãos e irmãs em Cristo Jesus! Chegamos até você desejando que a paz e o amor de Deus estejam em seu coração.

Mais um Domingo com uma grande Solenidade: Santíssima Trindade! As festas litúrgicas tem uma sequência lógica e catequética que visam o nosso crescimento na fé. Vivendo com intensidade, podemos mergulhar um pouquinho na riqueza que são. Ricas de simbologia e significado, elas nos ajudam a caminhar mais perto de Deus.

A Santíssima Trindade é um mistério. Tudo o que tentarmos dizer aqui e tudo o que já foi dito, jamais esgotarão a riqueza do mistério. O que já sabemos foi revelado nas Sagradas Escrituras e através da Igreja (Concílios, Santos). Deus vai revelando aos seus filhos e filhas o que nós podemos compreender e o que é importante para a nossa fé. No mais, Ele se reserva o direito de deixar oculto o que não poderíamos compreender pela razão.

Sabemos que as pessoas da Trindade tem nome e missão específica e o que as une é a sua essência que é a divindade. São três pessoas e um único Deus que é Pai, Filho e Espírito Santo.

O Credo Niceno-Constantinopolitano definido no Concílio de Nicéia (325) já faz uma grande síntese para nós: “Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso... Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigênito de Deus, nascido do Pai antes de todos os séculos: Luz da Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, gerado não criado, consubstancial ao Pai... Creio no Espírito Santo, Senhor que dá a vida, e procede do Pai; e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado”.

O Filho é consubstancial ao Pai, ou seja, tem a mesma substância. E o Espírito Santo deles procede. Sendo assim, é Deus como o Pai e o Filho, pois não sé criado, mas gerado. Reze o creio várias vezes e fique bem atento as palavras utilizadas e busque compreender o significado de cada uma delas. O creio é o resumo da nossa fé.

Vamos a Palavra de Deus desta grande e belíssima Solenidade, pois ela nos revela o amor que Ele tem por nós e que sempre manteve proximidade com os seus filhos. A linguagem utilizada por Moisés (1ª Leitura Ex 34,4b-6.8-9), em seu diálogo com o Criador demonstra isso claramente. É uma súplica de confiança e intimidade: “caminha conosco. Embora este seja um povo de cabeça dura, perdoa nossas culpas e nossos pecados e acolhe-nos como propriedade tua”. Este é o nosso Deus! Ele caminha com seus filhos e filhas e não se esconde de nós quando o buscamos com total confiança.

A santa Missa que nós participamos é um ato realizado em nome da Trindade. O sinal da Cruz, a saudação do presidente, tirada da Carta de São Paulo aos Coríntios: “a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo estejam com todos vós” (2Cor 13,13) e muitos outros atos litúrgicos são expressão desta comunhão trinitária. Isso é lógico, pois não podemos dividir a Trindade.

O Evangelho (Jo 3,16-18) também manifesta o grande amor de Deus por toda a humanidade. Deus não quer que a sua criatura, feita a imagem e semelhança, se perca. O pecado nos afasta do amor de Deus, mas a sua graça nos restaura, nos reaproxima deste grande amor. “Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna”. Lindo isso! Deus tem por nós um amor infinito e tão especial que quis nos resgatar do pecado enviando Jesus Cristo para isso. E Jesus deixou muitos ensinamentos para vivermos melhor a nossa vida, sofreu por nós na Cruz, ressuscitou e quem nele crer e esperar, será salvo.

Precisamos diariamente manifestar nossa gratidão por tanto amor. O que seríamos sem o nosso Deus maravilhoso? Terminamos nossa reflexão com as palavras do Prefácio da santa Missa desta Solenidade. Acompanhemos: “Com vosso Filho único e o Espírito Santo, sois um só Deus e um só Senhor. Não uma única pessoa, mas três pessoas num só Deus. Tudo o que revelastes e nós cremos a respeito de vossa glória atribuímos igualmente ao Filho e ao Espírito Santo. E, proclamando que sois o Deus eterno e verdadeiro, adoramos cada uma das três pessoas, na mesma natureza e igual majestade”.

Participe de cada santa Missa com atenção e fé acompanhando cada gesto, cada palavra. Isso enriquecerá a tua fé e nunca abandonarás a santa Igreja de Cristo.

Deus Trindade nos abençoe hoje e sempre: Pai, Filho e Espírito Santo! Amém!

Saudações,
Pe. Hermes José Novakoski
Pobre Servo da Divina Providência