28 de março de 2011

Você nasceu para brilhar


Você nasceu para a VIDA!
Por isso viva este espetáculo único e irrepetível com muita garra, determinação, amor, fé, coragem, entusiasmo.
Não se deixe vencer pelo cansaço, pelo desespero, pelo desprezo, pelo ódio!
A VIDA vale muito mais que isso.

Você nasceu para brilhar! Creia nisso!
Seja nas passarelas, nos estádios, nas pistas de alta velocidade, na cozinha, na sala de aula, na direção de um ônibus, na pilotagem de um avião, escrevendo poesia... onde quer que você esteja, você nasceu para brilhar.
Diante de Deus todos temos a mesma dignidade, por isso, devemos amar a vida intensamente, independentemente da posição social que estamos e da função que ocupamos.
O que fazemos é passageiro. Como fazemos é o que nos identifica e é a marca que deixaremos para as gerações futuras.
Deus olha com que amor fazemos aquilo que foi a nós confiado e nos recompensará segundo este amor.

O brilho da tua estrela no céu será da mesma intensidade que você brilhou na terra. O amor é o combustível dessa estrela que nunca se apagará.

Deixe a luz que há dentro de você brilhar!
Sorria!
Ame a vida!
Seja eternamente apaixonado pela vida!
Não desista dos teus sonhos!
Não guarde rancor, raiva, ressentimento!
Espalhe amor, pois quanto mais você o espalhar, mais ele se multiplicará e mais ele retornará para você.
Carregue consigo sempre acesa a chama da esperança. Você chegará onde os seus sonhos chegam! Acredite neles!

Nunca se esqueça que VOCÊ NASCEU PARA BRILHAR!
Você é luz para outras pessoas!

Sejas feliz!


Hermes José Novakoski

27 de março de 2011

Jesus e a Samaritana


Artigo de Dom Orani João Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro

RIO DE JANEIRO, domingo, 27 de março de 2011 (ZENIT.org) - Apresentamos artigo do arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, divulgado nesse sábado à imprensa, intitulado ‘Jesus e a samaritana'.

* * *

Durante estes dias da Quaresma, o nosso itinerário batismal tem neste domingo um sinal claríssimo sobre o sinal da Água e a importância do encontro com Jesus, o Cristo. Neste ano, de maneira especial aparece este sinal, que nos ajuda a caminhar para a renovação das promessas batismais na vigília pascal.

Este domingo, chamado da "samaritana", é o terceiro Domingo da Quaresma (cf.Jo 4,5-42). A hostilidade entre judeus e samaritanos conhecemos por outros episódios, como, por exemplo, o caso do chamado "bom samaritano". As relações entre judeus e samaritanos eram de hostilidade constante e a Samaria era considerada território impuro para o ambiente judaico, de modo que não se deveria cruzá-la durante os percursos das viagens.

Jesus quis passar pela Samaria como uma necessidade salvífica, teológica, porque nas suas intenções (que são aquelas do Pai), tinha a vontade de que também aquele povo, como todos os outros existentes, entrassem na ordem da salvação, tornando-se destinatário do anúncio do Reino e da vida nova trazida pelo Cristo.

A objeção dessa mulher: "Tu que és um judeu pedes de beber a uma mulher samaritana?" dá oportunidade a Jesus para anunciar o amor infinito de Deus, a universalidade da salvação e para comunicar a nova dimensão da vida, que agora está totalmente renovada e foi estabelecida com o Reino para todos os povos e indivíduos, homens e mulheres. Superam-se as barreiras, as restrições e as divisões étnicas e raciais.

A água tornou-se a motivação do anúncio. Vemos os vários episódios sobre ela como um símbolo e um "lugar" de salvação e novidade de vida. Recordemos isso como em Meriba, quando o povo de Israel, nômade no deserto, vê a água jorrar da rocha para saciar o povo. Também a vemos no dilúvio, quando a água é destrutiva da raça humana, que deu a oportunidade de Deus mostrar a sua misericórdia para com o homem e o mundo na restauração completa da humanidade. O grande sinal desse tempo no êxodo foi a passagem do Mar Vermelho, quando as águas foram divididas para o povo de Deus passar para o outro lado e depois se fecharam sobre os egípcios. Quando a lança do soldado atingiu o lado de Jesus no alto da cruz, saiu água e sangue: o sinal do Batismo e da Eucaristia.

É dessa mesma água de vida eterna que Jesus está falando com a mulher samaritana no poço de Jacó. Ele deixa claro que a água viva é o próprio Cristo, dom do Pai à humanidade, e que acolhendo-O se obtém a salvação e a vida plena, não importa se samaritanos, ou judeus, palestinos, gregos ou outros. Como a água que sacia todos os homens, e todos estão prontos para usá-la quando estão sob o domínio da sede, assim o Cristo sacia toda a humanidade, reconciliando-a com o Pai, para tornar-se referência vital e indispensável.

Jesus satisfaz a nossa fome e a nossa sede, e com a sua presença e o seu anúncio podemos ter a certeza de sermos exaltados e postos ao seu lado e perante o mundo. Foi o que saiu anunciando a Samaritana a todos.

Dessa água da vida e da salvação, todos nós precisamos! Saciar a sede na fonte, que é Cristo, é cultivar em nós mesmos o equilíbrio, a confiança, a constância de espírito, experimentando a salvação n'Ele.

Ao comentar a liturgia do terceiro domingo deste tempo favorável, o Papa Bento XVI ensina que: "O pedido de Jesus à Samaritana - ‘Dá-me de beber' (Jo 4, 7) -, que é proposto na liturgia do terceiro domingo, exprime a paixão de Deus por todos os homens e quer suscitar no nosso coração o desejo do dom da ‘água a jorrar para a vida eterna' (v. 14): é o dom do Espírito Santo, que faz dos cristãos ‘verdadeiros adoradores' capazes de rezar ao Pai ‘em espírito e verdade' (v. 23). Só esta água pode extinguir a nossa sede do bem, da verdade e da beleza! Só esta água, que nos foi doada pelo Filho, irriga os desertos da alma inquieta e insatisfeita, ‘enquanto não repousar em Deus', segundo as célebres palavras de Santo Agostinho".

Depois do anúncio da samaritana, todos os que chegaram até Jesus, devido ao seu testemunho, foram unânimes em dizer: nós mesmos vimos e sabemos que Ele é o Cristo!

A experiência do cristão, que renasce no batismo e se torna discípulo de Jesus, será ainda maior quando os que ele encontrar pela vida ou que evangelizar disserem a mesma coisa, ou seja, que o testemunho foi o início, mas, agora, amadureceram e se encontraram com o Cristo vivo. Assim, a nossa missão leva as pessoas ao aprofundamento da fé e ao encontro com Jesus, multiplicando os discípulos missionários.


24 de março de 2011

ESTER: mulher do silêncio, da oração e da confiança

Geralmente quando falamos de alguma personagem bíblica com essas características acima, nos referimos a Maria, Mãe de Jesus, a mulher por excelência.

Tem me impressionado muito a vida de outra mulher na Bíblia. Gostaria de chamar a atenção para essa mulher, personagem do Antigo Testamente e que muitas vezes passa despercebida aos nossos olhos e à nossa oração. Uma mulher forte, não porque lutava com armas, guerreava, mas porque tinha em Deus uma confiando incondicional.

Convido a refletirmos sobre Ester. Uma história belíssima onde o estar com Deus era sua constante oração e vontade. Historicamente situando, Ester foi escolhida rainha contra sua vontade. Aceita, contudo, porque acreditava que Deus tinha algum propósito com a sua eleição. E teve mesmo!

No palácio, seja na relação com as suas servas ou com os grandes da corte, nunca se valeu do ser rainha para humilhar ou maltratar alguém. Manteve a mesma postura humilde de antes.

Não lhe agradava estar com aqueles que exploravam as pessoas simples, especialmente do seu povo. Por isso mantinha o silêncio e a reserva. Em suas orações, demonstra total confiança em Deus. O Senhor era o único amigo fiel com quem ela podia contar e isso nós percebemos claramente nesta oração que ela faz:

“Deus de Abraão, Deus de Isaac e Deus de Jacó, tu és bendito. Vem em meu socorro, pois estou só e não tenho outro defensor fora de ti, Senhor, pois eu mesma me expus ao perigo. Senhor, eu ouvi, dos livros de meus antepassados, que tu libertas, Senhor, até o fim, todos os que te são caros. Agora, pois, ajuda-me, a mim que estou sozinha e não tenho mais ninguém senão a ti, Senhor meu Deus. Vem, pois, em auxílio de minha orfandade. Põe em meus lábios um discurso atraente, quando eu estiver diante do leão, e muda o seu coração para que odeie aquele que nos ataca, para que este pereça com todos os seus cúmplices. E livra-nos da mão de nossos inimigos. Transforma nosso luto em alegria e nossas dores em bem-estar” (Ester 4,17)

Ester se transforma assim modelo de confiança em Deus e uma mulher de fortaleza. Pelo seu povo, que estava sofrendo e sendo marginalizado, ela “enfrenta” o rei.

Neste tempo especial de Quaresma, somos convidados à atitude de Ester: confiança, abandono, sinceridade.

Diante de Deus não podemos mascarar quem somos, pois Ele nos conhece melhor que nós mesmos. Se a nossa oração for sincera, confiante, humilde, será atendida.

Quando, porém, não somos capazes de enxergar também as necessidades dos nossos irmãos e nos fechamos em nós mesmos, pedindo incessantemente a Deus pelas nossas necessidades nem sempre reais, nossa oração não é atendida.

Vejamos que Ester não pede por ela, mas sim pelos seus. Quando está diante do rei, arriscando a própria vida ela assim se expressa: “Concede-me a vida, eis meu pedido, e a vida do meu povo, eis meu desejo.”

E Deus atende sua prece porque encontrou nela uma serva humilde.


Diácono Hermes José Novakoski, PSDP

22 de março de 2011

O Sermão da montanha (*versão para educadores*)



Naquele tempo, Jesus subiu a um monte seguido pela multidão e, sentado sobre uma grande pedra, deixou que os seus discípulos e seguidores se aproximassem. Ele os preparava para serem os educadores capazes de transmitir a lição da Boa Nova a todos os homens.

Tomando a palavra, disse-lhes:

- "Em verdade, em verdade vos digo: Felizes os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus. Felizes os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados. Felizes os misericordiosos, porque eles..."

Pedro o interrompeu:
- Mestre, vamos ter que saber isso de cor?

André perguntou:
- É pra copiar no caderno?

Filipe lamentou-se:
- Esqueci meu papiro!

Bartolomeu quis saber:
- Vai cair na prova?

João levantou a mão:
- Posso ir ao banheiro?

Judas Iscariotes resmungou:
- O que é que a gente vai ganhar com isso?

Judas Tadeu defendeu-se:
- Foi o outro Judas que perguntou!

Tomé questionou:
- Tem uma fórmula pra provar que isso tá certo?

Tiago Maior indagou:
- Vai valer nota?

Tiago Menor reclamou:
- Não ouvi nada, com esse grandão na minha frente.

Simão Zelote gritou, nervoso:
- Mas porque é que não dá logo a resposta e pronto!?

Mateus queixou-se:
- Eu não entendi nada, ninguém entendeu nada!

Um dos fariseus, que nunca tinha estado diante de uma multidão nem ensinado nada a ninguém, tomou a palavra e dirigiu-se a Jesus, dizendo:
- Isso que o senhor está fazendo é uma aula? Onde está o seu plano de curso e a avaliação diagnóstica? Quais são os objetivos gerais e específicos? Quais são as suas estratégias para recuperação dos conhecimentos prévios?

Caifás emendou:
- Fez uma programação que inclua os temas transversais e atividades integradoras com outras disciplinas? E os espaços para incluir os parâmetros curriculares gerais? Elaborou os conteúdos conceituais, processuais e atitudinais?

Pilatos, sentado lá no fundão, disse a Jesus:
- Quero ver as avaliações da Provinha Brasil, da Prova Brasil e demais testes e reservo-me o direito de, ao final, aumentar as notas dos seus discípulos para que se cumpram as promessas do Imperador de um ensino de qualidade. Nem pensar em números e estatísticas que coloquem em dúvida a eficácia do nosso projeto. E vê lá se não vai reprovar alguém! Lembre-se que você ainda não é professor licenciado...

Jesus deu um suspiro profundo, pensou em ir à sinagoga e pedir aposentadoria proporcional aos trinta e três anos. Mas, tendo em vista o fator previdenciário e a regra dos 95, desistiu. Pensou em pegar um empréstimo consignado com Zaqueu, voltar pra Nazaré e montar uma padaria...

Mas olhou de novo a multidão. Eram como ovelhas sem pastor... Seu coração de educador se enterneceu e Ele continuou... como nós sempre continuamos. ..

20 de março de 2011

Servi ao Senhor com alegria


Servi ao Senhor nosso Deus
Nos irmãos que estão a sofrer
Para que nenhum mais tenha que
De fome e sede morrer.

Servi ao Senhor com encanto
Louvando sem cessar
Pois Ele nos ama tanto
E sempre está a nos cuidar

Servi ao Senhor com júbilo
Ele faz maravilhas em todo lugar
Cantai, orai, celebrai, bendizei.
Seu Reino sempre a buscar.

Servi ao Senhor nos que sofrem
Nos abandonados e excluídos
Nos que passam fome e sede
Nos que não encontram em sua vida sentido.

Servi na pobreza e obediência
No amor que é doação
Pois Deus é Pai de todos
E todos nós somos irmãos.

Servi com humildade e simplicidade
Porque Deus é Pai Providente
Ele dá tudo aos seus amados
Ele cuida com carinho de toda gente.

Em toda conduta diária
Fazei tudo em nome do Senhor
Ele recompensará a cada um
Se fizer tudo com muito amor.

Ir. Hermes José Novakoski, PSDP

19 de março de 2011

Cansaço e revolta da natureza

A natureza dá sinais de cansaço.
Sua revolta é um grito, um gemido de dor
A exploração, que fere seu íntimo, está fazendo ela se revoltar.

As imagens a seguir, captadas na internet, são assustadoras.
Que vale a inteligência e engenharia do homem frente a força da natureza?

O melhor seria viver em harmonia com a natureza.

"O que era para ser garantia da vida está se tornando ameaça.
A beleza está sendo mudada em devastação,
E a morte mostra a sua presença no nosso planeta." (CF 2011 - Cf abaixo)









"A criação geme em dores de parto" (Rm 8,22)
CF 2011


Fotos de uma praia antes, durante e depois do tsunami
(Fotos site Zero Hora)






Oração da Campanha da Fraternidade 2011

Senhor Deus, nosso Pai e Criador.
A beleza do universo revela a vossa grandeza,
A sabedoria e o amor com que fizestes todas as coisas,
E o eterno amor que tendes por todos nós.

Pecadores que somos, não respeitamos a vossa obra,
E o que era para ser garantia da vida está se tornando ameaça.
A beleza está sendo mudada em devastação,
E a morte mostra a sua presença no nosso planeta.

Que nesta quaresma nos convertamos
E vejamos que a criação geme em dores de parto,
Para que possa renascer segundo o vosso plano de amor,
Por meio da nossa mudança de mentalidade e de atitudes.

E, assim, como Maria, que meditava a vossa Palavra e a fazia vida,
Também nós, movidos pelos princípios do Evangelho,
Possamos celebrar na Páscoa do vosso Filho, nosso Senhor,
O ressurgimento do vosso projeto para todo o mundo.

Amém.



*******


Exposição dos trabalhadores pode levar a morte. Clique e leia mais.